Secretário de Transportes de Campinas projeta concessão de terminais e tecnologia para melhorar informação aos usuários

Secretário de Transportes de Campinas projeta concessão de terminais e tecnologia para melhorar informação aos usuários

Em entrevista ao g1, Vinicius Riverete também deu detalhes sobre a licitação do transporte público e atuação dos agentes de trânsito para tentar reduzir pontos de congestionamento na cidade.

O secretário de Transportes de Campinas (SP), Vinicius Riverete, defendeu a concessão dos terminais urbanos durante entrevista ao g1 e projetou melhora da relação dos usuários com o sistema a partir da disponibilização de tecnologias que transmitam informações em tempo real sobre itinerários de linhas.

Ao longo desta semana, o g1 publica uma série de entrevistas com cinco dos secretários da administração municipal de Campinas – Educação, Saúde, Cultura, Transportes e Assistência Social – para saber qual balanço fazem de 2021 e o que pode ser esperado para 2022.

A entrevista com o secretário de Transportes foi feita antes da decisão do reajuste da tarifa de ônibus na metrópole para R$ 5,15. A medida foi anunciada no dia 30 de dezembro e a cidade passou a ter, a partir da última segunda-feira (3), o preço de passagem mais alto que todas as capitais, exceto Brasília (DF).

Riverete assumiu a pasta em janeiro de 2021, quando teve início a gestão do prefeito Dário Saadi (Republicanos). Contudo, ele já fazia parte do quadro da prefeitura durante o governo do ex-prefeito Jonas Donizette (PSB) e, neste período, foi titular da Secretaria de Habitação.

“É o transporte público, enquanto essa operação não estiver 100% não vou dar paciência para ninguém. Estamos instalando abrigos em toda a cidade. Uma coisa que nunca foi feita, nunca foi olhado para as regiões mais afastadas. Começamos com 100, vamos fazer uma grande quantidade no ano que vem”, afirmou.

Informação ao usuário

Para melhorar o transporte público, o secretário aposta na tecnologia. Segundo ele, Campinas está atrasada quando o assunto é manter o usuário informado sobre chegadas e atrasos dos ônibus.

Riverete admitiu que atrasos podem acontecer, mas salientou a importância de usuários terem informações em tempo real sobre onde estão os coletivos e em quais horários chegam aos pontos de embarque e desembarque. Segundo ele, os dados serão abertos para que criação de aplicativos.

O titular da pasta também explicou que a secretaria lançará um canal de atendimento mais ágil, possivelmente por meio do WhatsApp. “O transporte público é muito dinâmico. O cara liga no 118 e até responderem ele perdeu o ônibus”.

Outra proposta dele é a melhoria do Cittamobi, aplicativo de celular da Emdec, empresa responsável por fiscalizar o trânsito na cidade. Uma das funções dele é indicar o tempo estimado dos coletivos.

O titular da pasta lamentou o fato da metrópole não ter painéis nos terminais para informar sobre itinerários.

“Se eu tivesse em Dracena, não precisava disso. Mas numa cidade dessa, que se diz a capital da ciência e da inovação, tem que funcionar, tem que ter painel, painel informativo na entrada da cidade. É informação”.

“Uma vez fiz uma apresentação num bairro, e falei de wi-fi, falei num sei do que, falei de um monte de coisa. Uma senhorinha que me chamou no canto e disse: eu só queria que o ônibus cumprisse horário, ou mostrasse o horário que fosse passar. Eu não quero wi-fi’. Então é o mínimo que a gente tem que fazer”, afirmou.

Concessão de terminais

O secretário defendeu a concessão dos terminais urbanos para exploração da iniciativa privada. “São Paulo fez isso e deu certo. A iniciativa privada vem, revitaliza rápido, dá retorno financeiro para o ente público, e depois do período de concessão devolve para o município. É inovação”.

“O Terminal Central, vou dar um exemplo. Ali tem que ser fechado. Quem tem que estar ali dentro é quem usa o ônibus. Não pode ter morador de rua passando, gente que não usa o transporte, pessoas que frequentam o camelô. Nada contra o camelô, de forma alguma, mas existe passagem para o camelô”, disse o titular da pasta.

“Ali [terminal] tem que ser quem usa o transporte, com segurança, com conforto. Como é que você quer que seu filho utilize o transporte público num lugar que é aberto? Então nós temos que levar segurança, conforto, e trazer, como eu tenho falado, inovação. O painel digital”, completou.

Licitação do transporte

Ao afirmar que estima o lançamento do edital entre fevereiro e março, Riverete mencionou como melhorias da nova concessão do transporte público o não vencimento dos créditos dos usuários, a bilhetagem ser mantida na gestão municipal e ampliação dos ônibus equipados com ar-condicionado.

Atuação dos ‘amarelinhos’

O secretário afirmou também que tem pedido aos agentes de mobilidade urbana, conhecidos como “amarelinhos”, para atuarem pontualmente no trânsito para desafogar vias com congestionamento.

“Outro detalhe que tenho cobrado e tenho tido uma relação muito boa com eles. Eu vou para rua, não fico sentado aqui na mesa. Ponho roupa de agente e vou para a rua. Eu me coloco no lugar deles. Vocês estão passando num lugar que tá com o trânsito desgraçado. Desce da moto e faz o trânsito andar. Escola de Cadetes, ali é trânsito todo dia 5h30. Pô, vamos fazer uma simulação, vamos por agente lá pra fazer o trânsito andar. Moraes Sales com Coronel Quirino, todo dia trava, vamos por agente. As pessoas vão falar: ‘Olha, agora o cara tá fazendo o trânsito andar, não está multando'”.

“Não estamos aqui pra multar, estamos pra educar, conscientizar, melhorar o trânsito, tráfego, pra melhorar a vida da população. Agora, só fica no canto, na esquina assim ó [simulando a multa], esquece. Vocês vão passar na rua e vão falar: ‘Olha lá, só quer multar’. Vamos fazer diferente, vamos fazer o trânsito andar. Nós temos 500 pessoas para fazer isso. É um desafio que dá pra fazer”, falou.

Fonte: G1

Publicado por Soluções Transportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *