Cadeia do frio – É preciso respeitar!

Cadeia do frio – É preciso respeitar!

Via Letti | www.leiteletti.com.br
Por Helena Fagundes

As perdas ocasionadas por falhas na cadeia do frio no transporte de alimentos perecíveis, em todo o mundo, somam mais de US$ 35 bilhões por ano. No Brasil o prejuízo anual supera US$ 2,8 bilhões.

O consumidor moderno exige cada vez mais produtos de qualidade e os conceitos de segurança alimentar estão incorporados ao dia a dia das pessoas. A cadeia do frio é responsável pela manutenção da qualidade final dos alimentos que precisam permanecer refrigerados.

O leite Letti da Fazenda Agrindus é pasteurizado, portanto, precisa ser mantido refrigerado durante todo o processo, ou seja, desde o seu envase até o consumidor.

Leites pasteurizados devem ser mantidos em refrigeradores durante todo o tempo: na indústria, durante o transporte, no comércio e em casa. O transporte do leite do mercado ou padaria até em casa deve ser o mais rápido possível. A refrigeração do leite é importante para evitar que ele estrague mais rapidamente.

Por mais que as embalagens se desenvolvam e cumpram melhor a função básica de proteger e conservar os alimentos, no caso dos produtos refrigerados a sua eficiência esta ligada a da cadeia do frio que, em um país com grandes distâncias e altas temperaturas como o Brasil, tende a não ser muito eficiente.

A “Cadeia do Frio” é um conceito bastante conhecido e consiste basicamente em resfriar o produto desde a sua fabricação e mantê-lo frio até o consumo final. Os órgãos de defesa do consumidor já alertam para os cuidados que devem ser tomados pelo consumidor na compra de alimentos refrigerados nas gôndolas dos grandes supermercados e pequenos varejos.

Uma pesquisa realizada em cinco grandes supermercados localizados em três cidades do litoral paulista (Guarujá, Santos e Praia Grande) mostrou que, nas gôndolas, 71% dos produtos são conservados em temperatura acima do ideal, o que propicia a multiplicação dos microrganismos presentes nos alimentos e, por conseguinte, sua deterioração.

Muito importante para o consumidor é se certificar que não esta sendo prejudicado. O recomendável é que ele leia no rótulo a temperatura máxima de conservação informada pelo fabricante e a compare com a temperatura do termômetro do balcão frigorífico.

A “quebra” da cadeia do frio durante a entrega de um produto até o ponto de venda além de representar um risco à saúde do consumidor devido a perda de qualidade do produto representa também um risco para a saúde da empresa, ao expor o produto e a marca a um processo irreversível de deterioração perante o mercado.

Portanto recomendamos:

* Transporte refrigerado da indústria até os pontos de venda em temperatura na faixa entre 4 e 7°C.
* Cuidados com a câmara fria para armazenamento dos produtos – seja no depósito do distribuidor ou no depósito do ponto de venda.
* Gôndolas dos pontos de venda com manutenção em dia e com termômetros a vista do consumidor para melhor fiscalização.

Postado por: Soluções Transportes | www.solucoestransportes.com.br

A Soluções Transportes está presente no mercado há 11 anos. O objetivo da Soluções Transportes é atender de forma satisfatória, os fornecedores de produtos alimentícios que são destinados à Merenda Escolar. Nosso trabalho consiste em distribuir estes produtos em todas as escolas no prazo estipulado em contrato. Atuamos com frota própria de veículos, o que garante rapidez, qualidade e eficiência na distribuição dos Produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *