Logística terceirizada: vale a pena?

Logística terceirizada: vale a pena?

*Por Rodrigo Recchia

No setor logístico, assim como em qualquer outro ramo de atividade, a terceirização dos serviços está em crescente evolução e pode ser rentável ao negócio da empresa, sendo aplicada tanto no controle do estoque quanto no transporte e distribuição da mercadoria.

O outsourcing, traduzido para o português como terceirização, atrai principalmente as empresas em que seu core business não é a logística em si. Logo, essas companhias não possuem também os equipamentos, softwares e processos adequados para conduzir com qualidade a cadeia de suprimentos em sua totalidade.

Os operadores logísticos são os melhores exemplos que podemos citar, pois atuam fortemente em parceria com empresas, nacionais ou multinacionais, das mais diversas estruturas, tanto em tamanho como em abrangência territorial. Em geral, os operadores logísticos têm o know-how necessário para oferecer um serviço de qualidade, empregando alta tecnologia, informação, dinâmica à empresa contratante, gestão adequada do estoque, com o mínimo de perdas possível, acuracidade, cumprimento de prazos com o transporte através de entregas das mais variadas formas e, muitas vezes, exclusividade nas suas operações para atender a empresa contratante de forma satisfatória e eficaz.

A vantagem para o operador logístico é que ele não fica preso a uma única operação ou a uma limitada gama de produtos. Uma vez que ele possua espaço físico e recursos para tal, o operador pode ficar aberto a vários depositantes ao mesmo tempo, trabalhando com diferentes tipos de produto. Com a utilização de softwares de gestão (WMS) disponíveis hoje no mercado, é possível gerenciar vários depositantes em um mesmo armazém ou vários armazéns diferentes, de maneira independente e segura, aproveitando assim a infraestrutura e os recursos, sem perder o controle do que está sendo armazenado.

O contrato entre operadores logísticos e seus clientes depositantes deve ser claro e com estabelecimento de regras que beneficiam ambas as partes envolvidas, no qual o ganha-ganha prevalece e a parceria se fortalece ao longo dos anos. O contrato confere às duas partes a tranquilidade e o comprometimento que o serviço será realizado com a qualidade e eficácia esperada.

A prestação de serviços pelos Operadores Logísticos, com seus Centros de Distribuição devidamente preparados para atender a demanda, muitas vezes, é a forma que a empresa depositante da mercadoria utiliza para viabilizar seu negócio em regiões nas quais ainda não possui a estrutura necessária para armazenar e distribuir seus produtos.

Como citado inicialmente, o outsourcing vem atraindo muitas empresas que não pretendem investir em aparatos logísticos, mas sim somente no seu core business, que é a função estratégica da empresa no mercado. Neste sentido, estas empresas terceirizam toda a sua cadeia de suprimentos.

De modo geral, o outsourcing beneficia todas as empresas, pois cada uma delas pode oferecer o que tem de melhor. A empresa contratante oferece um produto de qualidade ao consumidor, abrangendo um amplo mercado e com investimentos em marketing. Já o operador logístico oferece toda a infraestrutura necessária para que o produto armazenado seja cuidadosamente manuseado e transportado até o consumidor final, de forma segura, prática e rápida, bem como de acordo com a cultura difundida pela empresa contratante.

Quando planejada de forma adequada e com os recursos corretos, a contratação de um operador logístico para o armazenamento e distribuição da mercadoria se torna um diferencial competitivo, com maior satisfação do cliente final e com redução de custos.

Com a terceirização, o custo para a empresa depositante passa a não ser fixo, tornando-se, assim, variável. Desse modo, o operador logístico e o depositante podem estabelecer contrato de faturamento de acordo com o recebimento, a movimentação, a expedição e o seguro da mercadoria, de forma que o pagamento a ser efetuado é restrito somente ao trabalho executado durante um determinado período.

Pela ótica do operador logístico, este ganha em vários aspectos, como, por exemplo, na utilização dos mesmos recursos humanos, tecnológicos e de equipamento por atender diversos clientes, de acordo com sua sazonalidade, bem como por manter sua equipe sempre em constante operação. Já o depositante ganha em agilidade, otimização de processos, redução de custos operacionais e tem o respaldo de ter um serviço prestado por uma empresa onde seu foco é a logística realizada com eficiência, oferecendo a segurança esperada no serviço executado.

Por todos os fatos citados, o outsourcing pode beneficiar, e muito, qualquer empresa que almeje um serviço de qualidade no armazenamento e distribuição de seus produtos. Todavia, é importante destacar que há diversas peculiaridades que podem viabilizar ou não a terceirização. O importante é que as empresas entendam que sem uma boa infraestrutura logística não há como competir neste mercado cada vez mais acirrado e exigente.

*Rodrigo Recchia é gestor de desenvolvimento do produto WMS Store Automação, companhia de Tecnologia da Informação especializada no setor logístico

Fonte: Decision Report | www.decisionreport.com.br
Postado por: Soluções Transportes | www.solucoestransportes.com.br

A Soluções Transportes está presente no mercado há 11 anos. O objetivo da Soluções Transportes é atender de forma satisfatória, os fornecedores de produtos alimentícios que são destinados à Merenda Escolar. Nosso trabalho consiste em distribuir estes produtos em todas as escolas no prazo estipulado em contrato. Atuamos com frota própria de veículos, o que garante rapidez, qualidade e eficiência na distribuição dos Produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *